37. Como se relacionar com o cão-guia?

Antes de mais nada, é bom esclarecer que lei federal assegura à pessoa com deficiência visual usuária de cão-guia o direito e ingressar e permanecer com o animal em veículos e estabelecimentos públicos e privados e uso coletivo.

É preciso entender que o cão-guia é um animal de trabalho, e não um bichinho de estimação. Quanto mais for ignorar, melhor será para dono e para o cão. O comportamento e trato desse animal são totalmente diferentes dos outros cães e deve ser respeitado em sua dupla função de guia e fiel companheiro de seu dono.

Não toque nem acaricie o animal quando ele estiver trabalhando, ou seja, quando estiver usando a guia. Se fizer isso, ele pode se distrair. É melhor ignorá-lo.

Não tenha medo! Os cães-guia são treinados e não fazem mal sem motivo.

Na hipótese de você estar acompanhado de um cão, controle-o para evitar que cause algum acidente quando passar ao lado do cão-guia e do seu dono.

Jamais ofereça alimentos, pois esse animal tem horário certo para comer e está bem alimentado.

Quando se dirigir a uma pessoa cega, acompanhada de um cão guia, fale diretamente com ela e não com o cão.

Se um cego com cão-guia lhe pedir ajuda, aproxime-se pelo lado direito, de maneira que o cão fique à esquerda.

Meu dono então me ordenará que eu siga você, ou lhe pedirá que lhe ofereça seu cotovelo esquerdo. Neste caso, usará uma senha para avisar que estou temporariamente fora de serviço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s